Como solar no violão usando a escala de Dó Maior

Para quem está começando a estudar música, solar no violão pode ser um desafio.

Mas não se preocupe, com as dicas que você encontrará neste artigo, você saberá qual o melhor caminho para aprender como solar no violão. Continue lendo “Como solar no violão usando a escala de Dó Maior”

Progressões de acordes e as principais cadências

Durante o desenvolvimento da harmonia diatônica, estabeleceram-se regras relativas ao movimento de um acorde para outro, nas progressões de acordes e as principais cadências.

Tais regras baseavam-se em concepções escritas sobre o que constituía consonância e dissonância. Sua função era organizar as mudanças de acordes dentro de uma tonalidade, de modo a fazer o acorde de tônica aparecer claramente como “Acorde Central”, criando o melhor e mais lógico efeito “linear” entre dois acordes. Continue lendo “Progressões de acordes e as principais cadências”

Tipos de Tríades, inversões e sequências

Todos os tipos de Tríades, inversões e sequências são formadas por uma combinação simultânea de três notas. Ela pode constituir-se de qualquer nota mais duas outras, uma terça e uma quinta acima dela. Continue lendo “Tipos de Tríades, inversões e sequências”

Intervalos na Teoria Musical

Chama-se intervalo a diferença em altura entre duas notas.

O intervalo é o mesmo tanto quanto as notas soam juntas (intervalo harmônico) como quando soam uma após a outra (intervalo melódico).

Cada intervalo diferente possui sua qualidade sonora específica, determinada pela relação entre as frequências das duas notas. Continue lendo “Intervalos na Teoria Musical”

Harmonização

Esta seção trata de harmonização. A melodia de uma música corresponde ao princípio horizontal da música.

Todas as melodias derivam de escalas, e todas as melodias se desenvolvem horizontalmente.

A harmonia, ao contrário, corresponde ao princípio vertical da música.

Também deriva das escalas, mas trata dos efeitos produzidos ao se fazer soar duas ou mais notas ao mesmo tempo, e não uma após a outra. É o estudo dos acordes. Continue lendo “Harmonização”

Outras Escalas Musicais

Outras escalas musicais artificiais como “Enigmática, Napolitana, Cigana, Dominante Diminuta e Alterada”.

Todas possuem um único centro tonal, assim, apesar de estarem escritas em C (dó), podem ser transportadas para qualquer outro Tom, desde que sua sequência de intervalos seja mantida.

Você achará difícil empregá-las com a convencional Harmonia diatônica ocidental, pois são consideradas, sob alguns aspectos, “dissonantes”.

No entanto, representam alternativas melódicas, de modo que a melhor política é experimentá-las, familiarizar-se com seu som e, caso uma delas estimule sua imaginação, utilizá-la para criar seus próprios acordes e melodias. Continue lendo “Outras Escalas Musicais”

Escalas Artificiais

Certas escalas, que fogem à definição dos modos e escalas maiores e menores, são chamadas escalas artificiais.

As escalas diatônicas que vimos até agora, maior e três menores, estão longe de esgotar o assunto.

Embora seja verdade que escala maior tem dominado a teoria e a prática da melodia e da harmonia, é possível também criar muitas outras escalas a partir de uma oitava, simplesmente escolhendo outras formas de divisão do intervalo entre as duas notas que delimitam a oitava. Continue lendo “Escalas Artificiais”

Os Modos Gregos

Devemos a Grécia antiga a primeira formulação das escalas. Elas eram nomeadas segundo os povos gregos mais importantes (os dórios, frígios, lídios) e também a escala mixolídia que é uma mistura dos modos gregos, lídio e dórico.

Todas elas continham oito notas (equivalentes às notas das teclas brancas do moderno piano), E eram escritas na forma descendente.

A dórica descendia a partir de E (mi), a frígia de D (ré), a lídia de C (dó) e a mixolídia de B (si). Continue lendo “Os Modos Gregos”

Tonalidades

As tonalidades nas melodias são o centro em torno do qual a sua harmonia gravita. Esse centro é constituído pelas notas da escala em questão. Então, isso significa que uma melodia formada de notas da escala de C (Dó Maior), está na tonalidade ou no tom de C (Dó Maior). A primeira nota da escala é a tônica, e C (Dó Maior) é o centro tonal. Continue lendo “Tonalidades”