De Modos Gregos a Escalas

As características sonoras dos Modos Gregos podem ser transportadas para qualquer tonalidade, desde que sua sequência de intervalos original não seja alterada.

Na verdade, isso produz cinco novas escalas, e não sete, já que o jônico e o óleo coincidem com as escalas diatônicas naturais maior e menor. Continue lendo “De Modos Gregos a Escalas”

Os Modos Gregos

Devemos a Grécia antiga a primeira formulação das escalas. Elas eram nomeadas segundo os povos gregos mais importantes (os dórios, frígios, lídios) e também a escala mixolídia que é uma mistura dos modos gregos, lídio e dórico.

Todas elas continham oito notas (equivalentes às notas das teclas brancas do moderno piano), E eram escritas na forma descendente.

A dórica descendia a partir de E (mi), a frígia de D (ré), a lídia de C (dó) e a mixolídia de B (si). Continue lendo “Os Modos Gregos”